23 outubro 2013

Quanta neurose!

Estamos na era da tecnologia, em que a cada dia surgem coisas novas: celulares, aplicativos, computadores, câmeras, etc. É a era da evolução tecnológica, porém, na minha opinião, é também a era da regressão psicológica. Talvez regressão seja um termo muito forte, vamos colocar então como neurose. Sim, estamos na era da neurose.

Para grande parte da população, é inaceitável não ter um celular. Se você tem um celular, você deve andar com ele a todo lugar que vai, assim podem falar com você a qualquer momento. Mas e se você não quer atender? E se você não carrega o celular para todos os lados? E se deixa ele no silencioso? E se deixa ele dentro da mochila em outro ambiente da casa? E se telefonam e você não atende de pronto? Bom, então você está morto.

Obviamente, você não está morto, mas quem está do outro lado da linha parece simplesmente não conseguir pensar em outra coisa a não ser algo ruim como: você foi assaltado, ou sequestrado, estuprado, sofreu algum acidente. Neste momento surge um desespero tão grande e começam a telefonar a cada 2 minutos para ver se você atende, mas você não atende porque está no banho e seu celular está no quarto, largado embaixo das cobertas. Você sai do banho e descobre que, em menos de 20 minutos, recebeu 15 ligações e 5 mensagens de uma mesma pessoa.

Ah Angela, que exagero! Exagero nenhum! Ou vai me dizer que isso nunca aconteceu com você ou alguém que você conhece? Responda-me uma coisa então: era assim quando o celular não existia? Claro que não! As pessoas se sentiam seguras e confiavam nos outros. E sabe o que eu acho que as fazia sentir dessa forma? O não saber.

Agora existe essa necessidade de saber tudo sobre o outro, onde ele está, o que ele está fazendo, com quem ele está, e até já existem aplicativos de rastreamento para aumentar ainda mais o problema. Isso cria uma ilusão de controle sobre o outro. De que adianta saber que seu filho, ou namorado, ou seja lá quem for, está andando pelo bairro X na cidade Y? Se acontecer algo com ele você só vai ficar sabendo depois, como era antes, você não vai aparecer no local instantaneamente nem vai prevenir que algo aconteça. Você não está no controle. Ninguém tem controle sobre o outro, apenas sobre si mesmo.

As pessoas deveriam praticar mais o desapego. Eu bem sei que não é fácil, mas é necessário. Se alguém não atendeu, espere, a pessoa verá a ligação e, se quiser, ligará de volta. E se ela tiver realmente morrido, não vai adiantar continuar telefonando...

Nenhum comentário:

Postar um comentário