26 dezembro 2014

Escute...

Escute com atenção a voz do coração... escute a música mais linda, a música calmante. Ela pode tanto vir de fora quanto de dentro. A que vier de fora vai tocar tão fundo que vai tornar-se parte integrante de ti. Vai te fazer escutar os sentimentos mais profundos, rejeitados, escondidos. Vai fazê-los aflorar. Vai fazer com que tu os aceite e os acolha com carinho e compreensão. A ansiedade diminui, o peso das tuas costas some e tu começas e te conhecer. Tu começas a sentir de verdade, a entender de verdade. Então tudo fica mais leve, tudo fica mais fácil. Por mais que não pareça em alguns momentos, fica sim. A vida começa a ficar mais completa, mais tranquila. A vida começa a realmente ser vivida.

Como demorei para perceber isso! Como foi difícil me deixar sentir... No momento que comecei a sentir, mesmo que fosse dor, tudo começou a ficar mais claro, mais tranquilo, mais fácil de definir, de aceitar, de entender. Comecei a ver tudo por outro ângulo, um ângulo vivo, confiante, forte. A vida agora tem brilho e cor. Tem caminhos claros a seguir. Tenho guias incríveis ao meu lado...

07 abril 2014

Afinal, quem eu sou?

Há tempos venho negando quem sou, como me sinto, quem eu fui por tanto tempo. Não sei se por medo, por desejo de mudar, por "segurança" pra não me machucar. Me faço de pedra quando na verdade sou manteiga, que com o mínimo calor derrete. Mas por que vir falar disso? Hoje vi um vídeo super meigo



e me emocionei de uma forma que não me emocionava há meses. Me decidi por voltar a ser quem eu sempre fui. Mas será que é bom? Será o certo? Ser tão mole o tempo todo... Não sei se consigo, não sei se devo. E além disso, será um trabalho árduo. Será que é assim que eu quero ser? Ou será que eu só tenho medo de ser quem sou?

É complicado pensar nisso, mas é bom. Uma hora dessas eu me acho. Ou não. Vai que a evolução vem da busca incansável de quem se é...

20 março 2014

Deja vu

Tenho tido (essa expressão ta certa?) muita vontade de escrever ultimamente, mas nunca paro em frente ao computador para isso, tampouco tenho um bloco, ou caderno, na minha bolsa, pra rabiscar enquanto as ideias surgem no ônibus. Ou então quando escrevo acho que não ficou bom o suficiente pra postar, ou ficou bom demais, no caso fácil demais pra todos decifrarem, pra vir a público.

Ansiedade. Ganhei quase 4kg, ou mais, desde o meu aniversário, em janeiro. E o que isso tem a ver? Parte foi comilanças de viagem, mas a maior parte foi por ansiedade, comer muito, sem necessidade, comer porcarias sem ter fome, e nunca ficar saciada. Mas por que? Por ansiedade, ué! Mas e por que tanta ansiedade? Aí é que ta! Eu não sei! Ou talvez eu saiba e não queira admitir, então prefiro acreditar que não sei o motivo.

E aqui chega o momento: opa! fica quieta senão tu vai falar demais! o blog é público. ok, pouca gente conhece, mas é público, e qualquer um pode ler... Às vezes é complicado desabafar nas entrelinhas. Pra mim, não adianta desabafar escrevendo num caderno que ninguém vai ler. Tenho uma certa necessidade de pessoas, até na internet. Até para lerem um texto que, pra mim, faz sentido, mas pra elas, provavelmente, não vai ter. Por que?? Ai eu realmente não sei, ao contrário das causas da ansiedade.

Overthinking. 

Ta, e o título, o que tem a ver com o texto? Nada ;)

19 fevereiro 2014

Sonhos

Há algum tempo li, num site que um amigo me enviou, sobre sonhos e o que eles podem ser. Lá dizia que os sonhos poderiam ser resolução de problemas, realização de desejos, codificação da memória de curto para longo prazo, processamento de emoções dolorosas, e por ai vai. Fiquei tentando identificar quais eram os meus sonhos e percebi que boa parte deles se encaixavam na tópico "realização de desejos".

Ultimamente, porém, a frequência desse tipo de sonho aumentou bastante. Então fico me perguntando: será que, pelo desejo ser realizado através do sonho, significa que ele não pode ser realizado estando acordada? Será que não posso viver aquilo que sonho e quero que aconteça? E indo pro lado da lei da atração.. A lei da atração se anula ou continua atuando nesse caso?

Fico impressionada no quanto esses sonhos influenciam meus sentimentos no decorrer do dia. Desânimo, mau humor ou então uma alegria sem tamanho. Claro que realizar todos eles pode trazer uma enorme confusão mental, então queria escolher alguns, em especial, para tornarem-se realidade. Mas e aquele medinho bobo que sempre aparece na hora de agir? Fica complicado tentar realizar um sonho apenas esperando que ele aconteça, né?!

Por mais chato que seja acordar e perceber que aqueles momentos bons aconteceram só na minha cabeça - será mesmo? - levanto desanimada, boa parte das vezes, mas com muita vontade de viver. E isso me alenta...

31 dezembro 2013

Oh really?

Como pensamentos nos atrapalham em fazer aquilo que temos vontade. Medo de julgamentos, sendo que quem mais nos julga somos nós mesmos. E aquela necessidade boba de agradar. E aquele medo de errar. E aquele medo de "dar de cara com a porta". E aquele medo de decepcionar alguém. E aquele medo de mostrar o que sente e o que tem dentro de si. Então o tempo passa, as oportunidades passam, mas a vontade fica.

E às vezes a vontade aumenta. Aumenta de uma forma e quando não deveria. E fica aquela coisa incômoda, do muito difícil, do quase impossível. Mas também fica aquela esperança. A esperança sempre está presente. Mas às vezes a esperança é tão pequena, que desanima. E desanima quando e de uma forma que não deveria.

E vêm aquelas lembranças de adolescente. Lembranças daqueles sentimentos bobos que surgiam do nada e sem explicação. E mesmo com o desânimo, surge sempre uma pontinha de ânimo. Um sentimento de nostalgia, talvez? Então nos agarramos nesse ânimo. Fazemos o que devemos fazer. Mas e aquela dúvida? Aquela dúvida continua. Aquela dúvida nunca vai embora. Nem nunca foi.

E se? Será? Mas quando?!